quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Ele chega como bicho esfaimado...


Percorre o meu corpo em vertigens
explorando cada parte.
Me crucifica com a língua
sorvendo lentamente minhas fissuras...
E sem dó, nem piedade,
rompe as minhas entranhas
num frenesi torturante.
A fome, é a sua angústia premente.
O desespero da gula viciosa!
Me sinto a sua presa subjugada
e saboreada em preces vãs...
Viro glorioso ofertório
e sacio a sua fome pagã...

3 comentários:

Metalwizard disse...

Tudo o que você escreve e faz é um tesão e é muito gostoso. Um êxtase, um delírio fartar-se em caloroso, doce e saboroso amor. Bjs.

L. disse...

Ai, eu reclamo bastante mais não gosto de reclamar não. Me sinto uma velha. E as vezes quando reclamo sem tom de reclamação (ficou confuso,né?) e meu homem diz "Vc não para de reclamar", fico mais chateada ainda....
Ai, ai.
Mas sei que um dia melhoro.
Bjim,
L.

Dando a Bunda pra Bater disse...

Que lindo! Nada como conhecer as palavras e todos os desejos contidos nelas...

Beijos

Enfil