segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Livre Arbítrio


Sou feita de pecado
carne viva e saltérios.
Orações impuras e singelas
Santa velada de alcova.
Sou a tentação da Galiléia,
dos monges e dos mosteiros
Dos plebeus e das donzelas.
Fui concebida no vinho
da mais valiosa videira.
E nas bebedeiras de Baco,
fui a mais puta das rameiras.

Um comentário:

Sr. Poetæ Devassus disse...

Belas imagens, casam bem com as palavras.
Tens bom gosto.