quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Providência Divina


Meu corpo entorna
Em bocas despudoradas e insanas
Jorra por entre as línguas
Esvaindo-se pelas bordas
E você se retorce
Me excomungando
Profetizando que sou impura
Mas logo se redime
Querendo a minha curra

Um comentário:

Metalwizard disse...

Maravilhosa cm sempre. Como não querer-te pura e impura ao mesmo tempo? Impossível! Você encantadora e sedutora demais. totalmente irresistível. Bjs.