terça-feira, 25 de novembro de 2008

Santa e Safada


Sempre úmida, semeia tesão
Desperta nos machos vontades
Investe tamanha implosão...
Se mostra menina... Mulher
Os gumes que enlouquecem
E causam prazer...
Estancam dores, tal qual torniquetes
Fantasias se rasgam, florescem e despertam
Cios de colombinas
Vontades de Arlequins
Tupiniquins
Tribos indígenas...
Entre ardências constantes
Transveste na puta e na santa
Onde a reza é a primícia
De desejos e sambas
A candura da mais pura luxúria
O demo em forma de gente
A santa de véus esvoaçantes
O trigo...
O limo
A lama
A mistura de ingredientes picantes...

Uma orgia alucinante...

Um comentário:

o casalqseama* disse...

um pouquinho de todo tipo de devassidão... tempero perfeito!





adorei o texto!!!
bjs da fê =D