sábado, 29 de novembro de 2008

Sublimes Mãos...


Minhas mãos tão mornas e pequenas
- Te tocas inocentes como leigas -
Comungando na prece acesa
todo o fervor e esplendor
fazendo-te todo endurecer...
- Um falo tão febril e majestoso -
E se abate em minha destreza...
São mãos seculares e singelas
por onde escorrem as seivas
fluidificadas de prazeres e sanhas
- Que em devaneios proféticos
adentra-te em toques insanos...

Um comentário:

Ricky Bar disse...

Você chegou, entrou
Chutou a porta
Me conquistou
Se apossou do meu coração
Da minha alma e meus pensamentos
Não fez juras de amor
Nem pediu meu consentimento
Desvendou meus segredos
E minhas vontades mais íntimas
Fez e desfez o que quis
Com teu jeito e com tua malícia
Fez amor fez carinho...
Sem pressa, bem devagar
Do jeito que sabe gosto
Conseguiu meu desejo aplacar
Não ofereci resistência
E deixei-te me abraçar!
Trouxe também os teus beijos
Molhados pra me conquistar

--------
Que coisa doida...
sonhar em músicas com você
com notas que se enroscam
com dedos ágeis e atrevidos
que tocam e tiram sons afinados
aventureiros, exploradores,
desse teu mágico teclado
sem medo de te dar prazer
quero você lá
quero sua lua no sol maior
quero seu ré ardente dançante
quero você aqui, mi querendo
o sol ardente em ti sem dó
quero teu ritmo fervendo
quero teu jeito pra mim
quero o rock da tua pele
a balada do teu corpo
arrancando as cobertas
pra si descobrir o que resta
insana e virtual na tela
quero como pano de fundo
pra te pintar e bordar
quero ir devagar, pelas bordas
quero sem dó te abordar
quero um dia perfeito
quero meu sol no teu mar
quero os montes da lua
derrapar e escorregar
viaje em escala comigo
dó, ré, sol, mi, dó, lá!