quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Tudo é puro para os puros...


O padre ordenou-lhe que virasse de bruços. Ela, prontamente submissa e santa, obedeceu-lhe. Empinou bem a bunda e arreganhou as pernas. Mostrou aquela boca vertical sensual e carnuda. O clérigo, enaltecido, logo a adentrara com a língua célere. E em transe, transgredia as leis divinas. Cólera! O júbilo viera daquele inferno. Um caldo incisivo e vertiginoso. Um sumo quente queimara-lhe toda a língua.

2 comentários:

Confissões de Um Ego disse...

é dificil vir a seu blog sem sentir um certo calor viu..bjoksss

Dando a Bunda pra Bater disse...

Sim, mas nada comparado a queimadura que o espera no inferno!

kkk...Tô brincando.

Beijos,

Enfil