sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Você sempre foi vadio...


Vem...
Traz o lance do gozo gostoso
remexe no corte
faz o cortejo
Declame o poema da sorte
do grelo roçado
no pau atrelado
Vem...
Me fale de prazeres
cunilínguas e deleites
Mama na teta
escorre no duro
lindo e tesudo
me chame pra luta
pro aliso na gruta
Me molhe de putarias
língua lasciva
Fale baixinho... sussurre bem puto
Que daqui fico louca
e entro em transe
Vem...
Liga e faz a intriga
me chama de vadia e me
diz que ta molhadinho...
Você sempre foi vadio
desperta a libido
de meretrizes e bebezinhas...
Vem...
faz novamente do jeitinho que a gente sente...
Do gozo escorrido
com gosto da tua pica e da minha xota...

Um comentário:

Metalwizard disse...

Ai.. Ai... Quando você quiser. Rsrsrsrs. Com todo respeito. Gostosas demais todas suas poesias. Beijos.