quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Alquimia...


Orvalhos e serenos
em alquímicas salivas...
No beijo teu, a minha língua
num oásis quase ingênuo...
Em finas sedas que deslizam
em minhas coxas entreabertas
esperando pelas tuas...
grossas, másculas, rústicas...
E de oníricas ondas nuas,
o Saara treme em dunas
na prenhez de nossos dias...
Pura fantasia! ...

2 comentários:

Paulo Tamburro disse...

Nossa!!!

Monday disse...

bom demais de ler ... poemas assim fazem valer a pena a briga com o sono, só pra ler um pouquinho mais ...