quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Entranhado...


- E quando bebi da tua fonte
senti o hálito das marés mais agitadas.
Como se as Náiades gozassem
nas coxas molhadas de Netuno.
Tatuei a minha pele
deixando rastros... deitando sumos...
Com os dedos amornados no delicioso toque...
O sentido mais aguçado
extasiado... descontrolado... impertinente...
E a viscosiadde escorreu lisonjeira
misturada com o teu derrame
sobre o meu corpo desnudo e quente
E da minha boca semi-aberta... o transe...
de um silêncio tão gritante
Teu gosto na minha língua...
A minha insígnia... a minha parte...

7 comentários:

Dando a Bunda pra Bater disse...

Lindo de viver. Tô ficando fã dessas poesias!

Abraços,

Enfil

Metalwizard disse...

Tão bela, tão intensa e tão prazerosa qt vc. Vc é a tentação dos sonhos e das fantasias dos poetas mais recatados e o desejo intrépido e atrevidos dos mais atirados e sem pudor. Você é assim: bela, atraente, sedutora e mágica. Parabéns! Prazer à flor da pele. Bjs c carinho, amor e prazer.

Anônimo disse...

Fico completamente louco quando te leio. Mulher que sabe ser sensual. Deliciosa!!!!

Um homem disse...

Linda, sensual e... p-o-d-e-r-o-s-a!!!!

Paulo Tamburro disse...

QUE BELEZA!!!

Xana disse...

nussa!!
Isso é que é sensibilidade!!
Amei a poesia e a foto tá grudada na minha retina agora!!rs
obrigada por me acompanhar!!
Apareço sempre!!
Bju!!

Monday disse...

poemas que descrevem atos usando nossa imaginação sempre têm um quê a mais a apresentar ...