quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

FÉRTIL...


Me abro e fertilizo...

Mancho o mundo
Com a minha nódoa
Desperto os machos
Pra todas as fodas
Eu salivo... mostro cio...
Me arreganho e me arrepio
Meu gozo escorre
Por entre as coxas
Fertilizando lírios e lótus
Concebendo papoulas
Que inebriam
Corpos e criaturas
Anjos, Eros e Afrodites
A embriaguez que alimenta
Trôpegos sentidos
Sustendo...

Um comentário:

Anônimo disse...

Deliciosa!!