quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

GOZO...


Uma gota esvai-se lentamente... escorre... contorna a fêmea. Emoldura os seios bicudos... Lambe o sexo-fissura... o desenho do corte... a pintura. Treme nas coxas roliças... embaraça os fios dourados... sente... cai em vertiginosa queda pelo dorso. Dorso de gata... languidez maliciosa... tez vermelha... se toca. Morde os dedos melados. Chupa... sente o cheiro da ânsia... do gozo em prelúdio... gostoso... suave feito pluma. Ave... Fênix voa... levita... crepita... e goza... Ressuscita a Ave cheia de graça.

Um comentário: