sábado, 13 de dezembro de 2008

Mânia


Rasga a minha carne
na lâmina fria
Um ícone altivo
um falo
um Priapo...
Rasgda a flor
e todo o mistério
Um cálido desejo
em pétalas abertas...
Rasga, pois, a gárgula
antes que a boca
infame se abra...
a tantas outras
ébrias de luxúrias...
Rasga a minha pele
ebúrnea...
Rasga toda a minha injúria
toda a minha loucura e
mânia...

7 comentários:

Daniel disse...

É uma delícia ouvir essas súplicas... rsrs. Le e ouvi essas palavras todas... Bjus e bom final de semana.

http://so-pensando.blogspot.com

eroticwoman disse...

ai, ai que rasgação gostosa!

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Everson Russo disse...

Muito forte e instigante sua poesia, parabens, adorei seu blog...otima semana, carinho e paz...

Monday disse...

devorar com os olhos, arrepiar com dedos, deslizar com os lábios ... deliciosas preliminares para quem buscar te rasgar com requintes de prazer ... um poema que dá fome, muita fome ...

[ rod ] disse...

Pedidos de um desejo ainda em ebulição... e de certos alcances.

Devota-lhe a vivência.

Vim te conhecer de outro blogs.

Abçs,






Novo Dogma:
saCro...


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

Davi disse...

Tá tão melífluo seu blog. Imagens, cores e textos sublimes.

Beijos.

Davi