sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Primitiva


A lâmina sabotada

crepita no meu

corpo caliente,

incita o meu instinto.

Selvagemente Píton...

Sou a víbora da tua boca

me enrosco nas tuas pernas e

no teu corpo de homem,

incendeio as tuas partes.

Teu mastro é a minha insígnea...

Meu sumo-sacerdote,

latifundiário do meu vale.

Cadencie os meus quadris...

Esgote os meus suspiros...

Redobre os meus prazeres...

Sou a tua vagabunda

ENCANTADORAMENTE

puta e...

LIRICAMENTE

santa...

Mas, te envio com carinho,

os versos lapidados

que formulei numa noite

de corpos retesados...

GOMENASAI.

2 comentários:

Cadinho RoCo disse...

Em versos reptícios rasteja o veneno da sedução e o delicioso movimento úmido do que de víbora não tem nada.
Cadinho RoCo

Monday disse...

uma dama na sociedade, uma protituta na cama ... já dizia o bom e velho Juca Chaves ...