sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

A DÁDIVA





Sou a dádiva que te preza
que te reza ofertando aos céus.
O ardor das minhas entranhas
o calor das minhas preces
acesas... te fortalece
para mais um ato de bravura.
Sentir o peso do seu corpo
sobre o meu...
Acasalando a criatura.
O aconchego dos corpos
em altares escorregadios
As velas acesas
Os fervores das línguas
sobrepostas
Na linguagem mais pura
tocam-se... encantam-se
no mais sublime batismo...
As águas escorrentes
as juras e confidências
acopladas num só delírio...

6 comentários:

Dando a Bunda pra Bater disse...

Hoje é dia de cuidar da "criatura"! Um belíssimo poema, moça!

Bom final de semana.

Enfil

DESIRE disse...

Que texto lindo!
Beijos prometidos

Monday disse...

dádiva e delírio entremeadas por um sublime batismo ...

mais que um ato, um fato, entre o peso dos corpos e a leveza do desejo ...

Gisele Santos - Redação MRC disse...

levar em frente blog não é fácil e o melhor de tudo que é um campo democrático com total liberdade de expressão!

depois ouça meu programa, ele tá disponível pra download também no site www.mundorockdecalcinha.com

bjão
Gi

Monday disse...

meme pra ti, no menage

gulden disse...

çok güzel site. :)