quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Ofertório


Busco o gozo fresco do teu corpo
no meu templo aberto e sagrado
velando por ti e ofertando:
minha pele acesa em Vulcano
Quero-te todo; malícias e sanhas
Penetrando-me; possuindo-me os cortes
Em meio às preces e verves
onde torrentes, orações e lanhos
Orvalhos batizam frenesis insanos
Postos gozos, pagãos inocentes.
Onde os améns não suficientes,
gritam pela oblação dos meus dentes
E me entrego lânguida
Sorvendo-te gota-à-gota
extraindo-te todo o leite
Onde o opróbrio é tão somente deleite...
Quando chegamos ao ápice eterno!

7 comentários:

o¤° SORRISO °¤o disse...

Oi.

Nada como uma quarta-feira de cinzas com tanta malícia e deleite. UIA!!!!!

BONS SONHOS!


♥.·:*¨¨*:·.♥ Beijos mil! :-) ♥.·:*¨¨*:·.♥

Erica Maria disse...

Que lindo!

Tem dois selinhos no meu blog pra vc!

Bjs :)

Monday disse...

e só um templo desses pra me fazer pensar em seguir alguma seita ou religião ... rssss

e continuo imaginando, ao ver fotos assim, como é que tem gente que pode não gostar disso ...

pequemos, Ma, pequemos ...

Branca disse...

...que frenesi e que deleite!!!

A imagem tá linda tb!

bjos.

Tamires . disse...

Flor, obrigada pelos teus passos lá no blog, volte sempre pois a porta esta sempre aberta pra vc! Nem precisa bater!

E faço minhas as palavras logo acima: Que deleite! Imagem e textos que provocaram sensações intensamente sedutoras!

Lindo!
Um beijo, aqui!

Xana disse...

Falou em malícia eu apareço!!rs
Muito perfeita essas palavras!!
Parabéns!!

V disse...
Este comentário foi removido pelo autor.