sexta-feira, 13 de março de 2009

E quando te vi, fiquei assim... entregue.


Não desvie o seu olhar de mim
capte-me em seios nus
e o ventre cru...
Veja o reflexo nos ombros
uma insinuante sombra de Hélio
um brilho flamejante e claro...
Entre pela fresta de minhas coxas
nesse par de pássaros afoitos...
Ora se abrem, ora se fecham
como num balé... num adágio...
Sinta o espaldar de minhas costas
uma linha imaginária desce em pêlos
tocando os horizontes e as águas
E nos flancos, a morenice estonteante
que te queima e te abrange...
Não desvie o seu olhar de mim
pois o meu só fita a ti
nesse corpo que presto tantas homenagens...
Suores e salácias, murmúrios e gemidos
pelas mãos lambidas de um Lázaro
tentando fechar essa ferida que me consome...

Absinto

10 comentários:

Dando a Bunda pra Bater disse...

Suas poesias são surpreendentes!

Beijos,

Enfil

Junkie careta disse...

Nossa baby...

Quanta feminilidade, quanta paixão e erotismo brotando de seus textos.
Parabéns pela qualidade dos mesmos.

"pelas mãos lambidas de um Lázaro
tentando fechar essa ferida que me consome..."


Isso foi perfeito.

Grande abraço

Three Love´s disse...

que lindo!

amei sua visita e fiquei boquiaberto com o que vi aqui. Tudo muito lindo e lindamente ilustrado.

b.e.i.j.o.s.

Deliciosamente Atrevida disse...

Nossa, sem palavras pra expressar que poema mais lindo hein...


Perfeição...


Fã de carterinha, já tem fã clube?? rsrrs



Bjo grande!!

V disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
A.S. disse...

Sedução e êxtase!
Vulcão em incandescentes chahas...


Beijos...

Anônimo disse...

Entregue-se a mim, mulher deliciosa!

Monday disse...

não tirar os olhos é pouco ... nem olhos, nem mãos, nem pensamento, por instante que seja ... e só deixar como fresta a tênue distância mínima entre as peles dos corpos ... só pra provocar ...

Jupp disse...

simplesmente magnifico. Parabéns

Avassaladora disse...

"Entre pela fresta de minhas coxas
nesse par de pássaros afoitos..."
A gente chega de mansinho... e se depara com algo escaldantreDelicioso poema!
Desejos pegando fofo!

Belo blog!

Abraços!