sábado, 28 de março de 2009

Me dá de novo o gostoso...


Ele é a foda bendita
a lida do meu corpo
e a sina...
Ele alucina e alicia
é o tal do macho
que nunca dorme
no ponto...
Chega no enrosco
morde
sacode
e fode gostoso...
Ele é o cio deslavado
o rio
o açude
e a nascente do meu racho
Dele sei bem...
não vale um vintém
mas me quer bem
E eu fico no alvoroço
descabelando o palhaço
beijo molhado
dedos na nuca
fodendo como louca
Ele mela a potranca
de crina morena...
Ele é assim
bandido
atrevido
doído de fodas mundanas...
Ele é sacana
mas me ama
E me acabo na dele
permeio
anseio
festejo
quando me chega
fazendo festa
e me dando carinho...

Profana

8 comentários:

Blue disse...

Que dizer depois desta poesia? Resta apenas curtir... Bjs

T disse...

Escreveste tu?
Digamos que...adorei!!!
Que tesao de poema...
Lindo!!!

Beijos grandes grandes!
Optimo Domingo :)

S disse...

Querida T, na verdade é um poema que faz cá uma tesão.
Parabéns.

Perséfone Hades disse...

Amiga! Que delícia de energia, e que independência, te vale o T e é o que curtes dele!!!

Te selo prá você no meu blog.

Bjs Perséfone

Cláudia Dantas disse...

Ah, como eu adoro ser a foda bendita de meu amado! Belo texto...

Mário Margaride disse...

Estas labaredas, incendeiam um Iceberg...!

Beijinhos

Mário

conversaatrevida disse...

tida fdda bendita merece bis

e as 'algumas' NÃO benditas também porque a prática leva a perfeição né não?....rs

bjo

Atrê

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Adorei!