sábado, 21 de março de 2009

Na minha boca você cabe...


E peças que eu me dispa
que me torne na pele nua
o adereço do arrepio...
decalque em fios...
Os pelos em vertigem ...
Desço-me entregue
por entre tuas coxas
A saliva sem norte
e sem bússola...
Deito-te em minha língua
faço o aparato da seiva
entornando-te ereto e mais duro
Uma bebida... um alimento
Sugo-te até o último momento
um transe exposto em frenesi
Um langor de mim exangue...

5 comentários:

Simplesmente disse...

Tanta tesão...
Tanto desejo...
DELICIOSO...

Anônimo disse...

puta que pariu!

Desejos Aliciantes disse...

faço minhas as palavras do anônimo...rs
Putz que poema duca "ralho"!
Nossa dimais adorei
uhu
eita desejo aliciante esse heim
Boa noite pra vc
Beijosssssssss na alma!

Monday disse...

Ma, se eu já dizia que você tinha a melhor poesia sensual e erótica dessa blogolândia, ultimamente ninguém mais vai conseguir dizer que eu sou mentiroso ... rsss

as palavras, os versos e os poemas estão cada vez mais lindos e intensos ... irresistíveis ...

A.S. disse...

A noite abriu-se em estrelas...
e o teu oásis em sol se abriu!


Beijos doces...