segunda-feira, 23 de março de 2009

Pintura Íntima


Essa linha que me liga aos meridianos, são intermináveis horizontes beijando as águas dos oceanos. Línguas macias dos beijos-quebrantos de encantos e magias. Orientes no meu corpo trazendo a nostalgia nas omoplatas dos lhamas em que tecia o meu manto. O ar etéreo e vago dos olhos oblíquos da Cleópatra varrendo o Saara por entre os meus dedos, onde Astarte, mais linda e faceira luzia no lume mais belo, e a prata concubina de Selene, a menstruar-me nos pêlos esvaindo-me em gozos cristalinos. Amon e Ísis ascendiam sobre minha pele na intimidade mais bendita ... Amon L'isa em sfumato na minha fêmea e no meu narciso evaporando-se... Deito-me ainda sobre esses horizontes e transporto-me em lonjuras eqüidistantes... e os segredos continuam no âmago da Esfinge. A minha rosa-dos-ventos, tão destemida, indica os nortes sobre todos os consortes dos meus pensamentos... meus ares... minha flor-de-lis enchendo os cântaros de universos tão meus... Mulher vitruviana; aberta na divina proporção... a gênese em exaltação.

By Nefertiti

10 comentários:

T disse...

"A minha rosa-dos-ventos, tão destemida, indica os nortes sobre todos os consortes dos meus pensamentos... meus ares... minha flor-de-lis enchendo os cântaros de universos tão meus..."


Mais que perfeito...Uma beleza sem limite!

Gostei!

Beijos!

Eu disse...

Outra pérola. Menina, sempre disse que você era uma poetisa talentosa. Que inveja de você, beijos anjo.

Júlio Garret (contista) disse...

Minerva, soube que você voltou para o Beco e fiquei super contente. Precisamos de poetisas como você por lá. O seu blogue é lindo, parabéns! Beijos daqueles, Minerva linda!

Escrevendo na Pele disse...

Oi, Júlio querido, que saudades. Voltei sim, e estou contente por isso, aliás, voltei com o Homero, com o Ícaro, com a Absinto, com a Muralha... (rsrs). Estou no RL, no Beco, na Garganta, na Usina (?) e em outros (rs). Você me conhece né? Os heterônimos voltaram com tudo, beijos, Cleópatra.

Cavalo de Tróia disse...

Moça linda e sensível, esqueça o oriente. Lembranças e rastros? Moça dos ventos e das marés andarilhas,te conehço pelo tom das letras. Fala pra mim e diz que tudo vai bem. Minha Fênix, minha Fênix corajosa que sempre renasce nas dores e nas mazelas. Fêniz altiva e ave portentosa. Renasça Fênix e mostre novamente como se faz. Linda, seja o que for, me conte. Estarei à noite por aqui e me grite. Bjs, Cavalo de Tróia, sempre ao seu inteiro dispor

Seline disse...

Perco-me e encontro-me na tua poesia em prosa... linda!
Beijo

O Profeta disse...

O silêncio da solidão mora em meus olhos
Revela-se na tristeza, retém a palavra amarga
Tem a nudez de um aguaceiro de Maio
Uma garganta presa em grades que a voz embarga

Hoje a Ilha acordou presa ao silêncio
Os pássaros voaram no chão de barro frio
Esqueceram-se de subir ao azul
Lavaram as penas nas águas de um rio


Convido-te a descansar a alma nas minhas pedras de Ouro

Boa semana


Mágico beijo

Tatiana disse...

Ai...ai... sempre divino tudo aqui!

Agradeço a sua presença em palavras no meu blog.

Um dia repleto de dádivas para você!

Um beijo carinhoso

Erica Maria disse...

Nossa...derramamento intenso...

Bjooooooo e boa semana!

Mário Margaride disse...

Um intenso e sensual poema, onde os sentires e as emoções, se misturam, num universo de prazer...

Beijinhos...

Mário