quarta-feira, 25 de março de 2009

Profana


Sou o bicho das selvas,
dos matos e das relvas
da carne mais quente
Sou a entrega caliente...
De lírios abertos
da flor mais indecente
vermelha e magenta.
Carne de bicho solto
fêmea de fino faro
sentindo o cio revolto
dos machos por onde passo...
Homens lambendo rastros
dos meus lúbricos fios
paridos dentro de um rio
por entre as minhas coxas em delírios
e sempre lambuzadas...

Profana

8 comentários:

Roberto Ney disse...

poema interessante e excitante, hehe! fico muito feliz que meus textos estejam te agradando...
seus belos comentários alegram meu dia e me dão mais motivos ainda para CONTINUAR A escrever...
continue escrevendo na pele cada marca viva escondida no profundo abismo do seu ser, e nos deliciando com suas palavras...
grande abraço!!

Blue disse...

Que belo blog! Parabéns. Vou te linkar. Bjs

T disse...

Esta casa cheira a Desejo.


beijos!

Desejos Aliciantes disse...

Uma fêmea poderosa melhor não poderia ser descrita...
amei
:)
Boa tarde pra vc
Beijos alicientes

A.S. disse...

Profana...mas deliciosa, sensual, irresistivel!...
Cada sílaba desliza ne pele como doces caricias...


Beijos!

Anônimo disse...

minha tesuda.

Escrevendo na Pele disse...

Ele me quer e me tara
me faz a dama mais ordinária
Me lê e se molha na gana
me come nas letras sacanas...
Não sei quem é o sujeito
parece um cão bandoleiro
faminto procura meu nome
Na pele e na lomba de jeito...

PS: Anônimo, identifique-se!

Kleiton - Simplesmente Ser disse...

Homens lambendo rastros
dos meus lúbricos fios
paridos dentro de um rio
por entre as minhas coxas em delírios
e sempre lambuzadas...

Lindo demais essa parte, amei.