segunda-feira, 30 de março de 2009

Sempre tua


Sou bicho fêmea de mato
de esquina e de asfalto
Sou essa coisa sem limite
sou o avesso e o ocaso
sou teu jorro e tua lenha
tua puta e teu dilema
Sou a quenga que tu sonhas
tua potra e tua monta
Sou poeta da tua sanha
faço festa no teu corpo
grafitando teu inferno
no interno das tuas coxas
Sou teu verso e inverso
o reverso da medalha
o teu grito e gozo longo
teu espasmo e teu intento
Sou peçonha e vertigem
tua origem em mim parindo
sou o instinto te consumindo

Absinto

15 comentários:

Anônimo disse...

puta que pariu, que tesão!

{ÍsisdoEgito}JZ disse...

Delicia de comparações.....

Delicia de paixão!

Beijos carinhosos,

{ÍsisdoEgito}JZ

Teu Poeta Vagabundo disse...

Minha fêmea de cama e mesa.

Carlos Bayma disse...

Caramba! Dá até arrepio!

LEO disse...

MINHA DELICIA TEM UM PRESENTINHO PRA VC LA NO SEXIMAGINARIUM
VA ATÉ LÁ VER
BEIJOSS DO LEO

Momentos disse...

louco e excitante estas palavras corridas. Nem te conto o resultado :)
bjo

Seline disse...

Deliciosamente excitante...
Soa a prelúdio...
Beijo

Olavo disse...

Faço festa no teu corpo..
ah eu adorei isso
Beijão

Ric disse...

Uau! Eu quero!


Beijo gostoso procê.

Aqui - Ali - Acolá disse...

Palavras para quê?..

O poema tudo diz, assim se consuma.

Bjos dia feliz

Desejos Aliciantes disse...

Eita bixo bom neh
delícia de poema amiga amei
Boa tarde pra vc
Beijos aliciantes

A.S. disse...

Ah!... que delicia!


Beijos!

Blue disse...

Que lindo! Bjs

S disse...

Um poema excitante. Gostei.

T disse...

Uau!
belíssimo!!
Preciso respirar com calma
1..2..3..4...

BE-LI-SSI-MO!

beijos quentes*