sexta-feira, 6 de março de 2009

Você, meu alimento...


Sou a boca que se deita
em tuas coxas febris
No seu falo, sou aprendiz
em mesuras e afagos
Sentindo a corredeira quente
desse leite que me alimenta
Um entornar e um alento
e entre a saliva que degusta
os fios brancos e grossos
são decalques que em mim se apossam
No meu corpo que treme desejoso
me esvaio em tons avermelhados
na minha pele que sente na liquidez um deleite...

Murmúrio

11 comentários:

Carlos Bayma disse...

Caramba!

Erica Maria disse...

"Sou a boca que se deita
em tuas coxas febris"

Quente e lindo!!!

Bjs querida!

Poesia de ótima qualidade!

Mário Margaride disse...

Ufa! Aqui, todas as emoções e sentidos, estão à flor da pele!

Beijinhos e bom fim de semana.

Mário

Bernardo Lupi disse...

Lindo!

Sonia Schmorantz disse...

Obrigado por tua presença em meu espaço e também pelo incentivo.
Tenhas um lindo final de semana.
beijo

Sr. Kleiton* disse...

Lisonjeado em te-la como seguidora, não conhecia seu espaço, simplesmente delicioso de ler e ver, parabéns, grato por me dar a oportunidade e o prazer de lê-la.

Giselle Sato disse...

Perfeito. Cada poesia vai buscar uma reação, despertar um sentido e buscar alguma recordação perdida...Menina, vc é ótima.
Melhor ainda começar o dia lendo seu Blog.

Dando a Bunda pra Bater disse...

Muito bonito e leitoso.

Beijos,

Enfil

Desejos Aliciantes disse...

Nossa que delícia de texto
Muito bom
Iso é escrever o amor na pele...
Te desejo um final de semana iluminado e feliz
Deixo o meu abraço, um beijo e parabéns pelo dia Internacional da Mulher!

Claudeko disse...

Se as mulheres bem soubessem, seriam mulheres! Feliz dia para elas!

flor disse...

Primeira vez e já fiquei ENCANTADA. Parabéns.