segunda-feira, 20 de abril de 2009

Crepúsculo


Quero o crepúsculo
e o teu músculo rijo
o sol dormente vermelho
e o teu beijo sobre os meus ombros...
Quero deitar-me em tuas coxas
sentir o suor e a febre mais louca
adormecer nua e lânguida
com você por dentro
e em você degustando...
Feito embalo
feito renda de lua cigana
feito a noite concubina e astuta...
E depois acordar de leve
e sobrevoar pelo teu corpo
um sol já se levanta
assim... meio que de banda
Um quebranto...
um enredo
uma trama...

Absinto

4 comentários:

Dando a Bunda pra Bater disse...

Sol vermelho, nem tão dormente, não é?

Beijos,

Enfil

Olavo disse...

Eita coisa boa de se ler..
beijos

T disse...

"Um quebranto...
um enredo
uma trama..."

Tão perfeito....

Adorei!

beijos!

Teu Poeta Vagabundo disse...

lida, simplesmente linda essa deusa!