terça-feira, 19 de maio de 2009

Aquilo que me consome


Deixe que a mão caminhe livre
que suba pelos espaços
onde o sol em cansaço
se põe em declive
fazendo sombra de orgasmos
Deixe que a língua circule
em via livre pelas tuas coxas
e que o gosto se torne mascavo
pele tua pele morena de cravo
Deixe também que os pêlos se rocem
e que sintam o atrito e o lanho
fazendo o barulho das águas
Deixe mais um pouco as mãos em deleite
fazendo amor pelos brados e gemidos
que ecoam pelo teu riso frouxo
e pela minha boca de lua nova
acolhendo na pele toda a seiva pegajosa
E nos meus flancos de neve cor de alabastro
que bendigam esse momento de entrelaces
- morda-me mais uma vez... vai!

Posted by Vício & Dor

4 comentários:

o casalqseama* disse...

que lindo...
esse é pra mim!

é um pedido constante naquelas horas: me morde!

rsrs

bj da fê =D

Y disse...

Ehh coisa boa!

Consome em brasas e tu ainda joga mais lenha na fogueira!

Kleiton - Simplesmente Ser disse...

delicia, que esse tesão ecoe por nossos ouvidos e olhos, bjos

Roberto Ney disse...

Trecho do poema " casaco de pele"

quero ouvir tuas palaras horizontais
e sangrar com tuas doces mordidas...
sofreria bem mais sem tua boca macia,
sangraria bem mais sem tua leve alegria...

Passei aqui para informar-te sobre o novo espaço chamado "biografias horizontais", criado para discutir assuntos relevantes sobre o sexo e temas afins. Conto com a sua participação.
Grande abraço!
http://biografiashorizontais.blogspot.com/