quinta-feira, 28 de maio de 2009

Ando me perdendo...


Peço que me dê seu corpo
para que eu habite
um pouco desse canto
que me deixa em transe
essa loucura que me tange
e grito o cio dos animais selvagens
e indômitos ... um rugido e uns dentes afiados
Peço um pedaço desse corpo
as pernas, o queixo e talvez o abdômen
para saciar o meu desejo
de escorrer gostoso e sem pejo
Do queixo quero a seiva escorregadia de mim
do abdômen o meu corpo a fim rebolando
e das pernas o enlace nos meus quadris
Quero assim me aprisionar
e me mostrar a mais vulgar
gemendo por cima dessas letras que te mando

Posted by Murmúrio

6 comentários:

Y disse...

Uau... não sei se esse é um jeito de se perder ou de se encontrar... Mas de qualquer forma é maravilhoso!

Poeta almaquio disse...

"Quero assim me aprisionar
e me mostrar a mais vulgar
gemendo por cima dessas letras que te mando"
Prisioneiro me faço cada vez que me enlaço no nó de seus textos. Muitos bjs.

Shakti Prema disse...

...Amei...
***Beijos de Luz***

Blue disse...

Não apenas para saciar a sede,
mas quem sabe iniciar,
não uma paixão, mas um longo amor...

Beijos

silvioafonso disse...

.

Eu não me importo que escrevas em minha pele, que rabisques o meu corpo ou que "grafites" a minha alma, importo-me sim, com a tua ausência, com o toque de tuas mãos no desalinho dos meus cabelos, nos meus lábios onde os teus deveriam fazer morada.
Não me importo com o tempo, com o vento ou o cantar dos passarinhos se tudo o que eu quero se resume em ti, no toque de carinho ou de repulsa, mas contigo, sempre...

silvioafonso.





.

Erica Maria disse...

Amiga, estava com saudades de vir aqui!!

Palvras quentes num poema envolvente...

Lindo!!

Bjos em teu coração!