segunda-feira, 29 de junho de 2009

Anjo


Pura?


ela é o pecado
e a vontade
é a reza e a pureza
se contorce com as velas
e dá início a sua seita
. . .

inicia-se nos movimentos
em chão liso e molhado
escorre as velas pelo dorso
e espáduas excitadas
. . .
ela é uma enguia na guia cega de doar-se ...

se doa, e doa-se à vontade...

ela arde... é iguana...
é bicho que caminha de leve e transpassa...

e o corpo acompanha
em febre e calor
implode
explode
avermelha-se
. . .

ela é um anjo de esplendor ...

(mas não tem asas) - só pelos eriçados...

se alisa na destreza,
e de mãos pequenas,
se ajeita pelo corte
com as velas derretidas
pelo calor da sua lida
. . .

agora arde a desvirginada e pura
a beldade encantada
como uma orquídea pálida
tremendo a rosa avermelhada
uma entidade...
. . .

. . . . . .

. . .

Posted By Profana.

sábado, 27 de junho de 2009

Apenas uma Mulher



Ela é uma mulher misteriosa. É isso a torna perigosa. É Esfinge e finge perniciosa. Píton de cor amarela. Transmuta na loba e na cadela. Late gostoso, pica, injeta o veneno e goza. Ela é o jogo de sedução, é dama, égua e pião, e rodopia pelos salões à revelia... safada e solta, tocando a lira de Pã. Ela é o vício da papoula, da trilha de cânhamo e pira. Ela mexe com os instintos... os mais primitivos... talvez os dos homens das cavernas. Ela grita, ela morde, ela fode como ninguém... é dama, donzela e cortesã nas horas vagas. Ela liga e se liga em perfumes distantes. Do Egito, do Mar Egeu e do Nilo. Ela é libido e lanha a lua minguante. Se toca no corte e se assanha. Ela é a dona dos horizontes, e por fim, se mostra delicada, se dá, se morde e se entrega. É o veneno escorrido da pele que se derrama. Ela é a mais santa de todas as mulheres.

Posted By Vício & Dor.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Confissões


Se tu profanas o meu templo
eu vos digo:- Vês como sou pura?
Do teu leite espesso
fiz um poema pro interno
das minhas coxas ...


e desse líquido vosso (tão viscoso)
armo a minha anágua de puta

e desse brilho que capto de vossos olhos
enfeito-me para mais tarde
arder na porta do paraíso
com outros homens
que me procuram e me trazem flores

Não sabias de tuas artimanhas,
nem de você e
nem de minhas vontades...


Posted By profana.

terça-feira, 23 de junho de 2009

(Ex abrupto) ...


Aqua ...

desliza
escorre
sinuosa
pingando

sorri em
rios

nas coxas
no ventre
nas bocas

salivando ... s a f a d a


Ad libitum ...


Posted By Murmúrio.

sábado, 20 de junho de 2009

Quando amo, fico molhada ...


Quando amo, fico molhada
na umidade mais terna
umas águas de encanto
que me descem
e contornam todo o meu corpo
quando amo, fico salgada
desses mares de Netuno
eles me chegam e me seduzem ...
fico melada quando as águas
me tateam na minha profundidade
e no âmago do meu sentimento
fico assim, bem molhada
quando amo deslizando...

Derramando na pele nua ...
.
.
.

Posted by Mumúrio

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Orgasmo da Noite


Fiquei na languidez da noite
em que a boca sugava-me toda
o triângulo espesso de Vênus
uma libra de balança e esfrega
enciumando a lua debruçada na janela
mexendo no liso do corte minguante
onde os meus dedos faziam ciranda
em desespero de estrelas cadentes

Fechei os olhos ...

Derramei na pele nua ...

sábado, 13 de junho de 2009

Proposta Indecente


Olhe e lateje

aperte a ponta

e sinta a sede

de ter-me exposta

...


Profana.

terça-feira, 9 de junho de 2009

Sentindo o beijo ...


"Cada vez que a lingua dele tocava a minha,
eu sentia que havia outra língua, pequenina,
dentro de mim, a latejar, a querer ser tocada também."

(Anaïs Nin)


E remexido ficou o ventre
na umidade nua dos pelos
uma enxurrada de corredeiras
sentindo no beijo o tesão mais pleno

Posted by Absinto.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Esse Profano...


Os luares que o digam
bendizem e cantam os sinos
nas catedrais...(um grito e um uivo)
a agonia do corpo em transe
onde um deus altivo
majestoso e garboso
enfeitiça as fêmeas e deleita-se
como um Nilo banhando o seco
de um Egito árido e profano
rezando aos arcanjos
obedecendo ao demônio
e domesticando o meu corpo
que já não reluta... sucumbe.

Posted By O At&eu.

domingo, 7 de junho de 2009

Paixão


É como se os corcéis
desatinassem no meu corpo
raspassem os cascos
na minha pele ebúrnea
- sangrasse em desvario -
avermelhasse em rios
retalhassem em cios - pãs alados -
deixando lanhos e feridas abertas
É como se um raio cortasse
todo um céu em pleno orgasmo
e lambesse a minha carne
feito unguento e pára-raio
numa tempestade


Posted by Murmúrio

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Esse quente que me escorre...


Existe um sol que insiste
em frestas e raios
girar-me em calores
pelo corpo e pelo dorso
essa linha exangue
lambendo-me em chamas
até que os sais
se juntem aos suores
(meus e teus)
que fiam espaldares
e o interno das coxas
Grito louca
e insana te chamo
na chama mais louca
derramo a lava

...

O At&eu.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Gárgula do Amor


Dá-me tua boca
e alimenta a minha fome
na premência de comê-la
Dá-me que eu bebo
e também mato a sede
e faço um oásis e invento ciprestes
Dá-me todo esse corpo
que me deixa louco de tantos quereres
que eu aconteço como um deus
e faço todas tuas vontades
Dá-se toda...
Essa fina jóia numa ostra
que hei de sugá-la
sentindo todo o sal e todo néctar
Por fim, abra-se e deite-se
na minha boca desesperada de desejo.

O At&eu

terça-feira, 2 de junho de 2009

Tesão na Pele


No dorso

ainda sinto

o arrepio

&

o teu sereno

debochando

do meu cio


Posted by Vício & Dor