sábado, 27 de junho de 2009

Apenas uma Mulher



Ela é uma mulher misteriosa. É isso a torna perigosa. É Esfinge e finge perniciosa. Píton de cor amarela. Transmuta na loba e na cadela. Late gostoso, pica, injeta o veneno e goza. Ela é o jogo de sedução, é dama, égua e pião, e rodopia pelos salões à revelia... safada e solta, tocando a lira de Pã. Ela é o vício da papoula, da trilha de cânhamo e pira. Ela mexe com os instintos... os mais primitivos... talvez os dos homens das cavernas. Ela grita, ela morde, ela fode como ninguém... é dama, donzela e cortesã nas horas vagas. Ela liga e se liga em perfumes distantes. Do Egito, do Mar Egeu e do Nilo. Ela é libido e lanha a lua minguante. Se toca no corte e se assanha. Ela é a dona dos horizontes, e por fim, se mostra delicada, se dá, se morde e se entrega. É o veneno escorrido da pele que se derrama. Ela é a mais santa de todas as mulheres.

Posted By Vício & Dor.

4 comentários:

Paulo disse...

Delicioso teu post

Ernani Netto disse...

Ela é a mulher que todo homem deseja..

Bjaum

Paulo C disse...

Poético. Erótico. Assim fica perfeito.

http://contoseroticosdepauloc.blogspot.com/

Simone Crisperfontana disse...

Uau ler isso tem um prazer quase sexual, é ficar com água na boca o tempo todo.