quarta-feira, 15 de julho de 2009

Delírios ...


Até que a língua tocasse o desejo
o ponto em que me inflamo
correndo o risco e o medo
de mostrar na cara o prazer me pôsto

até que os dedos fossem papiros
desenhando no meu corpo de saliva
desvendando o mistério
da flor vermelha se entreabrindo ...

inavitável me abri, mostrei e arreganhei com gosto
deixei-me úmida pelo que me escorria
não menos que a língua
mas a agonia e o frenesi

latejava pela dor
fincada até os ossos
o bicho que me mordia
- de língua e dentes ...
saboreava-me ...
e eu mais ordinária do que nunca
obedecia displicente ao meu corpo

me vi rendida enfim...

12 comentários:

Blue disse...

Delírios estes que são de puro êxtase e prazer, é muito bom!

Beijos

Nati disse...

Adoreiiiiiiii td maravilhoso aqui!!!
parabéns!!!
Nati

Poeta almaquio disse...

Minha querida provocadora de delírios. Saudade de passear em seu blog e me imaginar personagem de seus textos. Aproveito a oportunidade para agradecer a visita em meu blog e o comentário delicioso em "envelhecer". Muitos bjs. Poeta Almáquio

Ela disse...

"e eu mais ordinária do que nunca
obedecia displicente ao meu corpo
me vi rendida enfim..."
Primeira visita aqui e AMEI!!
Visitarei sempre!!
Beijos

Jota disse...

ah, mas que vontade de delirar!!



Beijos
Jota.

Simplesmente Amor disse...

Aqui é puro extase!
Um beijo carinhoso

A.S. disse...

Ah!... Escreveste na pele um poema belo, irresistivel, arrebatador!...


Doces beijos...

Giane disse...

Quanto Amor, quanto gozo, quanto extâse...

Beijos mil!!!

PS:Preciso pedir um favor: deixei uma pergunta no ar lá no Caderno de Páginas Amareladas e gostaria, se possível, de ler sua resposta lá.
Desde já, Agradeço!

pastel schaefer disse...

eh uma necessidade adicionar-te nos favoritos...
tb nao me aguento dentro de mim...ate q criei pra publicar

Paulo Tamburro disse...

Você está chegando à perfeição.

Seus textos criam uma realidade , tão própria que eu fico me perguntando: Isto é virtual mesmo?

Um abração, carioca, ois não me canso de vir aqui

Solange Maia disse...

ah.... é dessa entrega que nos rouba o fôlego que precisamos, desse combustível, dessa combustão...

Beijo grande,

Solange

http://eucaliptosnajanela.blogspot.com

Helô Müller disse...

Uma rendição ao sabores da paixão, não tem nada mais mió de bão, não !!
Vixe ... rs
Beijão e um belo de um domingão!
Helô