terça-feira, 11 de agosto de 2009

Abandonada


Minha paixão é femêa
traz no corpo a essência
e a umidade das partes
de um lago que transborda
e a sensualidade se alastra
na porta da sua casa
mas você nunca me abre

sou mulher cheia de arrepios
um corpo gritante
e um bicho no cio
mordo, dilacero e injeto
mostro que você é o meu delírio

mas o seu mar nunca me afoga

então, sinto febre
corro riscos
mostro o eco sem o grito

corro pra cama
e me deito de mansinho
e me toco com a alma de Brahms


Posted By Murmúrio.

3 comentários:

Amanda disse...

Abandono não é bom mesmo. Companhia sim, é tudo de bom.

Beijos em versos!!!

Blue disse...

Que desperdício... e eu aqui sozinho!

Beijos

Poeta almaquio disse...

Belíssima criação poética emanada em todo o poema, mas o início é primoroso. Fantásticos
os versos:

/Minha paixão é femêa
traz no corpo a essência
e a umidade das partes/

Somente uma mulher afinada com os sentidos e sem medo de sentí-los
seria capaz de produzir tanta beleza. Você é esta mulher.