terça-feira, 11 de agosto de 2009

FETICHE


E se te vejo de frente; suo.
Pelo quente que me provocas
em altas temperaturas

e da minha pele brotam
gotículas de sais,
e das minhas coxas vazam
sudoríparas em cio
(aromas de frutas cítricas)
e da minha derme; o vício
de querer a língua no arrepio

Mania de querer coisas furtivas...

E essa vontade nunca sacia

corre o fluxo
fogem as aves (debandadas)
deságua o Nilo
e o fogo se alastra
Hefesto! Vesta sem vestes - vadia!

é o fogo por entre o racho
na pele crispada em eriços
e na flor bem regada
pelo inebriante corpo
que me retratas!

Derramando na pele nua e crua todos os fetiches...

8 comentários:

Cindy disse...

Amei o texto..quanta poesia... seu blog também é fofo...
Parabéns...
Beijos. Cindy

Helô Müller disse...

Adoro este poema de Lacuna Coil !! Há coisa melhor do que um fetiche realizado ?! Bom demais, né amiga !! Bela escolha, e uma bela semana pra ti !!
Besos !
Helô Müller

Kleiton - Simplesmente Ser disse...

Amo fetixes e amo ler coisas belas, lindo demais, bjos

Nely disse...

Fetiche...

O próprio poema nos atrái para ele!

Beijo com...Arrepio na pele.

maria disse...

BONITA FORMA DE DESCREVER...
BJ. MARIA

Marcio disse...

Texto deliciosamente sedutor...
Com gostinho de quero mais.
Beijos,

ΛMØR ŦЄMЄ E PRΛZЄR HØMØ disse...

adorei
vou seguir

Murmúrio do Vento disse...

AH..quem me dera realizar metade de tudo que tenho vontade...