domingo, 23 de agosto de 2009

TÊNUE ...


Num arfar lento ...

asas revoando
ventos e nortes
mata e relva
sede e riacho

num arfar de adágio ...

pés e mãos
penugem e pelos
ventres e huris
cortes e facas
lírios abertos

num arfar lânguido ...

dois lábios à beira
da boca entreaberta
a gosma e a saliva
em toques delicados
a permanente vontade
e o instinto latente

p u l s a n d o ...

num arfar lento ... adágio ... lânguido ...


Posted By Vício & Dor

7 comentários:

Marcio disse...

Delicadamente envolvente. Lindo!
Beijos,

Kleiton - Simplesmente Ser disse...

Tem presente no meu blog para este delicioso espaço, beijos

LEO disse...

Uma delicia de ler e de ver!
e vc continua aquela moça delicosa de sempre!
LEO

A.S. disse...

Belo! Intenso! Sensual...

Cada palavra desliza na pele como suaves caricias...


Doces beijos!

o¤° SORRISO °¤o disse...

Oi.

Toques delicados e envolventes como este belo e sensual poema.
:-)

***********




UMA ÓTIMA SEMANA PARA VOCÊ!!!




“Os ventos que às vezes tiram
algo que amamos, são os
mesmos que trazem algo que
aprendemos a amar...
Por isso não devemos chorar
pelo que nos foi tirado e sim,
aprender a amar o que nos foi
dado. Pois tudo aquilo que é
realmente nosso, nunca se vai
para sempre...”
Bob Marley





♥.·:*¨¨*:·.♥ Beijos mil! :-) ♥.·:*¨¨*:·.♥


http://brincandocomarte.blogspot.com/

___________________________________

Isaias Edson Sidney disse...

Para ler ouvindo MOONGLOW!

Mário Margaride disse...

Belo, envolvente e sensual poema.

Adorei!

Beijinhos e bom fim de semana.

Mário