terça-feira, 12 de julho de 2011

Dá-me o que me é de direito


[...] dá-me o que me é de direito.

teu corpo em sumo
&
todo o teu líquido
e se fores capaz e justo
o teu denso... o que aglutina
sobre o meu corpo
- plasma lácteo
copo de lírios
em delírios
até que se esgote
e me acabe.
dá-me... dá-me
até o invólucro
o que te cobre -
pelos emaranhados
pêlos nos pêlos
e te darei a noite
te darei o vício
[o infinito que me consome] ...
teu corpo.

Posted By Absinto.