quinta-feira, 12 de junho de 2014

Uma espécie de feitiço




Nas tuas coxas
é que sinto a vida
um rio e uma náiade
o poço e o perigo...
dentro das tuas coxas
um segredo e uma esfinge
uma seta e uma intriga
uma lua pingando leite
uns dedos nativos e indigentes
nessas coxas o desejo arde
corrói os flancos e as ancas
me arranca o suspiro e o narciso
flores e pétalas abertas
núcleo carne e cerne
cálice vinho branco
e a seiva sobrenadante
um gozo e um corpo exangue...

Nenhum comentário: